Maioria das queixas por dores nas costas é causada por má postura, diz especialista

 


          Um indivíduo obeso, sedentário, fumante, com falta de ergonomia no trabalho e em atividades de vida diária, por exemplo, está mais propenso. Aquele que tem uma vida ativa, peso adequado e uma postura correta no trabalho, tem menor chance de desenvolver essas dores.


          A maioria dos casos não necessita de procedimento cirúrgico, segundo Pedro Augusto Deja Teixeira, neurocirurgião do Instituto Paulistano de Neurocirurgia e Cirurgia da Coluna Vertebral. Ele ressalta que, na maioria dos casos, pequenas mudanças no estilo de vida do paciente melhoram os sintomas.


— Fatores como obesidade, postura e fraqueza dos músculos da região são fundamentais para se ter uma saúde perfeita, ainda mais quando o assunto é coluna. Entre as principais causas do problema também podemos destacar os tumores e as lesões traumáticas — finaliza Teixeira.


          A Organização Mundial da Saúde calcula que 80% da população mundial sofrerá pelo menos uma vez na vida algum episódio de dor nas costas. Estudo realizado pela Escola Nacional de Saúde Pública, ligada à Fiocruz, revela que o problema atinge cerca de 36% da população, e que apenas 68% dos afetados procuram tratamento. Os pesquisadores entrevistaram 12.423 pessoas de todas as regiões do Brasil, com mais de 20 anos de idade. As informações foram levantadas em 2008 e recentemente divulgadas.

                                                                                                                         Fonte: institutopaulistano.com

RPG Fortaleza

          A grande maioria das queixas de dores nas costas são chamadas funcionais, relacionadas aos vícios posturais, falta de ergonomia no trabalho e no dia a dia. A má postura é frequentemente a principal causa das dores. Apesar disso, um somatório de fatores podem desencadear o desconforto crônico.


— A má postura é a grande vilã das dores nas costas. Muitas vezes achamos que estamos confortáveis, mas na verdade essa sensação não garante que a coluna esteja “protegida”. É preciso prestar atenção principalmente na maneira como sentamos e como nos postamos nas atividades em que ficamos muito tempo na mesma posição ou em atividades repetitivas — explica Jefferson A. Galves, médico ortopedista, especializado em doenças da coluna vertebral e membro do Grupo Medicina da Coluna.


          Comum em diversas fases da vida, a dor nas costas pode ser considerada uma das mais prejudiciais à saúde, já que a mesma afeta diretamente a qualidade e o estilo de vida das pessoas. Em alguns casos, impossibilita as mesmas de ir ao trabalho, ao colégio, ou praticar atividades físicas durante certo período.